Arte, porque a vida por si só não deu conta dela mesma





terça-feira, 24 de abril de 2012

Cala a boca, Alessandra!

Nem tudo o que eu digo é verdade.
Nem tudo o que eu digo é inventado.
Nem tudo o que eu digo é nada.
Nada do que eu digo é tudo.
Tudo o que eu digo é nada.
De nada tudo tem um pouco.
Tudo nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário