Arte, porque a vida por si só não deu conta dela mesma





segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

SEM A (O LUTO) --- mas foram a rua!


"É como se tivessem me arrancado um braço" - pensei. "Não... é como se tivessem me arrancado o cérebro." - repensei. Mas ainda não era exatamente isso, eu sentia. "É como se me tivessem amputado alma" - Depois vi que talvez fosse outra coisa. Era abandono. Me levaram o pão e a casa. Desabitaram minha morada. Meu espírio à deriva. Descontente. Um desAlento, um desAbrigo, um desAlimento, um desAmor. DesArte. Boa pArte de mim desertaram. Luto. Nossas Almas estão sem Alvará.

Nenhum comentário:

Postar um comentário