Arte, porque a vida por si só não deu conta dela mesma





quinta-feira, 28 de novembro de 2013

RE VI DAR


E se na madrugada arder a lua cheia de si de cratera e lá tão bela?
E se na madrugada a Terra perde o afago e o céu derrama o pranto e eu me alago?
E se na madrugada a nuvem me encobre e sufoca a dança da estrela só e nem se toca?
E se na madrugada a montanha se assanha, me engole, eu dou mole e enquanto o mundo dorme?
E se na madrugada o céu me perde, o sonho, o agora e até o sol que ainda nem sei se...
E se o sono se demora, eu perco a hora e...
Pinta uma paisagem com Faber Castel pra mim?
E se acordar o Sol, ele fica de novo mais leve e me dá breve mais uma chance de crer no amar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário