Arte, porque a vida por si só não deu conta dela mesma





sexta-feira, 4 de abril de 2014

TUM!

Falam por aí: 
dúvidas são minhocas na cabeça, 
Eis que descobri: 
de minhocas não tem nada.
Elas são mesmo pra lá de mil lagartas! 
Se arrastam, encaraminholam...
Venenosas... quase cobras...
E depois lindas: oh! são borboletas!
e voam espremidas, desgovernadas
Vem vento, vem ventania vem e voam
Síndrome da gaiola inquieta.
Minha cabeça é um borboletário duvidoso!
A causa de tudo no fundo faz
TUM TUM | TUM TUM | TUM TUM
Coração bandido. Atira contra mim!
Ai! Fura o casulo. Vou me arrastando.
TUM TUM | TUM TUM | TUM TUM
Coração banido!
Nem assim, não durmo.
Escrevo. Pra que não sangre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário