Arte, porque a vida por si só não deu conta dela mesma





segunda-feira, 25 de agosto de 2014

"O CASAL - só que não"

Entreouvidos por aí (juro que é verdade)

Ônibus 157 vazio, eu entro e sento no banco alto, atrás do seguinte casal que inicia a seguinte conversa.
A- Cara, você é apaixonado por mim?
B - Eu me encantei por você.
A - Você me ama?
B - Não. 
A - Como não? 
B- não do jeito que você gostaria.
A - Como??? Segundo você eu sou bonita, amorosa, gostosa, criativa, dengosa, inteligente, talentosa, esperta, mágica, divertida, charmosa e você não me ama?
B- É, eu tenho carinho e te admiro e você não imagina o quanto te quero bem!
A - Muito carinho?
B - Muito.
A- Admira? 
B- É!
A - Jura mesmo?
B- Óbvio!
A - E me quer tão bem que eu nem imagino o quanto?
B - É! É isso! Eu tão bem e você não imagina o quanto, mas não tem como botar um crachá de Amor.
A - E por acaso então tem como na cama, no sexo, no encontro maior onde duas pessoas trocam toques intensos, afetos, energias, fluidos, eu me entregar completamente de corpo e alma considerando que temos meses e meses de relação a uma pessoa que diz que não me ama, que sente muito carinho por mim?
B - É... Eu entendo.
A - E o que a gente está fazendo juntos?
B - Boa pergunta.
SILÊNCIO
A deu umas fungadas e mexeu o braço levando a mão ao rosto. Acho que tava dando uma choradinha.
SILÊNCIO CURTO (mulher geralmente não aguenta mto tempo)
A - Você viu o lance do Saturno?
B - Nem...
A - vai passar tão perto da Terra que parece que vai dar pra gente ver. Tão dizendo que vai ser sinistro mesmo pra quem tá passando pelo retorno de saturno. Deve ser isso...
SILÊNCIO CURTO
A- Né?
B - Hã?
A - Nada não...
SILÊNCIO
SILÊNCIO
SILÊNCIO
SALTEI BEGE PÁLIDA NA PRAÇA SANTOS DUMONT, ESQUECI DE SALTAR NA ABBR, NO JARDIM BOTÂNICO.
Conclusão: silêncio gera congelamento e catatonismo.